Filipe Barros protocola requerimento de Notícia-Crime na PGR

Atualizado: 20 de jul.


O deputado federal Filipe Barros (PL/PR) protocolou hoje (18) na Procuradoria Geral da República um pedido de apuração de conduta delitiva - ação ou comportamento que ofende a lei penal - em relação às imagens divulgadas no final de semana retratando explicitamente um atentado contra a vida do Presidente da República Jair Messias Bolsonaro.


“Na manhã do último sábado, dia 16, a sociedade brasileira se deparou, estarrecida, com imagens que simulavam o magnicídio do ilustre Presidente Bolsonaro. A população de bem do Brasil se revoltou e, por meio deste requerimento encaminhado ao Procurador-Geral da República Augusto Aras, solicito que diante desta Notícia-crime seja desenvolvida uma investigação sendo necessária a adoção imediata de medidas enérgicas contra a flagrante incitação de violência contra o Chefe Máximo do Estado Brasileiro, isso não é arte, não é cultura, não é produção cultural, não é jornalismo; isso é crime”, afirma Filipe Barros.


O requerimento destaca que os crimes potencialmente incitados são diversos, na medida em que as imagens explicitamente ilustram grave violência, entre elas verificam-se: incitação ao homicídio, lesão corporal seguida de morte, crime contra o estado Democrático de Direito e crime de Golpe de Estado.


“Tratando-se de ano eleitoral, não é exagero vislumbrar a necessidade de aprofundada investigação também quanto a crimes eleitorais na divulgação das fotos e assim também solicitei o encaminhamento do meu requerimento à Procuradoria Geral Eleitoral do Ministério Público Federal para as devidas providências”, disse Filipe Barros.


Imediata – “Pedimos que a ação da PGR seja imediata, bem como o encaminhamento às demais instituições para que se sejam apurados todos os crimes e responsabilizados os envolvidos. É uma oportunidade de se quebrar o ciclo de legitimização do discurso hipócrita de “antiviolência” dos opositores do Presidente da República, passando as instituições brasileiras a respeitar e proteger a integridade física e moral de todos os cidadãos, inclusive do presidente Jair Bolsonaro”, salientou.



286 visualizações0 comentário