Filipe Barros pede investigação na empresa Sem Parar



O deputado federal Filipe Barros encaminhou ofício ao Procurador-Geral de Justiça do Paraná, Gilberto Giacoia, solicitando investigação na atuação da empresa privada CGMP - Centro de Gestão de Meios de Pagamento Ltda, conhecida popularmente como Sem Parar.


A empresa comercializa dispositivo eletrônico (tag) para veículos automotores permitindo passagem direta em praças de pedágio e vem sendo alvo de reclamações de consumidores.


As reclamações já divulgadas pela imprensa apontam que a Sem Parar teria concedido desconto no valor da mensalidade para seus clientes, além de acesso a plataforma de livros digitais no mesmo valor do desconto.

A tarifa mensal fixa é de R$30,00. Mas, segundo as denúncias, a cobrança registrou valores menores, R$ 20 ou R$ 21 reais, com o exato valor do desconto direcionado a plataforma de livros digitais.


“Dois fatos nos chamaram muito a atenção ao acompanharmos as reclamações dos consumidores e as reportagens publicadas: primeiro, que aos livros é garantida a isenção da Cofins e do PIS/PASEP e isso já levanta suspeitas, segundo que o Governo do Estado do Paraná liberou as cancelas de todas as praças de pedágio do Estado, o que significa que o serviço prestado pela empresa perde consideravelmente o objeto no Paraná; por isso protocolamos ofício ao Procurador-Geral de Justiça”, afirmou o deputado federal londrinense Filipe Barros.


No documento Filipe Barros pede que a Procuradoria exija do Centro de Gestão de Meios de Pagamento Ltda, Sem Parar, considerável desconto a todos os consumidores do Estado do Paraná e que seja investigada a atuação da empresa no estado a respeito da suposta venda casada relatada também em reportagens publicadas pela imprensa paranaense.




0 visualização0 comentário