Filipe Barros pede investigação de propaganda irregular antecipada de Lula em Campinas


O deputado federal Filipe Barros (PL) protocolou hoje (16) requerimento junto à Procuradoria Geral Eleitoral (PGE) solicitando investigação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelo crime eleitoral extemporâneo praticado por Luiz Inácio Lula da Silva, que em Campinas (SP), ainda na condição de pré-candidato à Presidência da República, fez discurso com pedido expresso de votos no número 13, usado pelo PT nas urnas eletrônicas e propaganda eleitoral partidária, "já no primeiro turno em outubro", quatro dias após fazer o comício ilegalmente pago com dinheiro público em São Paulo.


“Isso é irregular e propaganda eleitoral antecipada; pois ao pedir voto no número da legenda utilizada pelo partido em que é filiado, o condenado Lula da Silva, como presidenciável violou frontalmente a regra eleitoral”, afirma Filipe Barros, que fez juntada do vídeo do "comício" do PT na petição.


Este é o segundo requerimento protocolizado pelo deputado federal Filipe Barros contra a cara campanha eleitoral antecipada praticada por Lula.


O primeiro, foi logo após o 1⁰ de Maio, envolvendo o Partido dos Trabalhadores ( PT), Lula e a cantora baiana Daniela Mercury, que teriam utilizado verba pública da prefeitura de São Paulo para a realização disfarçada de “showmício” na capital paulista e pagamento do cachê da cantora, sob o pretexto de que seria um evento comemorativo pelo Dia do Trabalho e divulgaram símbolos da campanha incentivando as pessoas fazendo a letra “L” e cantando jingles do referido pré-candidato petista.


Os dois requerimentos solicitando a apuração de eventual propaganda eleitoral antecipada por parte de Lula foram encaminhados ao Procurador Geral Eleitoral, Augusto Aras, no TSE.






59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo