Filipe Barros pede à Marinha que investigue o ferry-boat de Guaratuba


O deputado federal Filipe Barros enviou ofício nesta quinta-feira (03/02) ao Comando da Marinha Brasileira solicitando investigação das atividades da empresa BR Travessias em Guaratuba (PR), concessionária responsável pelos serviços de ferry-boat na baía e que oferta um serviço sofrível aos usuários.

Em 31 de janeiro, um dos quatro atracadouros que integram o ferry-boat da Baía de Guaratuba no Paraná afundou. Felizmente, ninguém se feriu.


Mesmo diante do eminente risco aos que utilizam o serviço, o governador Ratinho Junior declarou que não irá rescindir o contrato com a empresa responsável. “Como considero esta atitude uma falta de respeito à segurança da população local e dos turistas que buscam o Paraná neste período de verão, encaminhei solicitação para que se investigue a empresa e os sócios”, disse Filipe Barros.


Guaratuba já havia declarado no dia 11 de janeiro, o estado de calamidade pública pelo caos na travessia. Sem ação coerente do Governo do Paraná houve um pedido para que o contrato com a concessionária BR Travessias fosse cancelado, que culminou com a determinação da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, da Justiça Estadual, dando prazo de 20 dias para a empresa BR Travessias realizar as intervenções necessárias nas pontes e flutuantes.


“Diante dos fatos que estão sendo acompanhados pelos paranaenses insatisfeitos com a inoperância do governador, solicitei à Marinha Brasileira que além das atividades da empresa e das associadas, investigue ainda quais são as responsabilidades do poder público estadual, como Secretaria de Estado da Infraestrutura, Departamento de Estradas e Rodagem e Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná, nos atracadouros e na concessão dos serviços de ferry-boat”, complementou Filipe Barros.








0 visualização0 comentário