Filipe Barros destina mais R$ 700 mil para pesquisa da mandioca no Paraná


O deputado federal Filipe Barros está destinando mais R$ 700 mil para as pesquisas relacionadas à mandiocultura no Paraná, por meio da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas/BA), unidade de Londrina, onde estão sediados renomados pesquisadores atuantes no Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. A emenda apresentada por ele foi aprovada pelo orçamento Geral da União para 2022.

Esta é a segunda vez que Filipe Barros indica recursos para apoiar projeto de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para estratégias e ação à cadeia produtiva da mandioca e derivados no Paraná. Em 2021 já foram destinados R$ 400 mil com este objetivo.

“Esta cadeia produtiva é um dos principais fatores de desenvolvimento da região Noroeste do Estado por isso nosso incentivo. Para o ano que vem, 2023, nossa proposta é de indicar mais R$ 500 mil em emendas parlamentares para a área, totalizando R$ 1,6 milhão”, afirmou Filipe Barros. É o maior volume de recursos destinados à pesquisa de mandioca no Paraná em curto espaço de tempo.

“Estamos em contato direto com lideranças do setor do agronegócio, como representantes da Associação Brasileira dos Produtores de Amido e Mandioca (ABAM) e do Sindicato Rural de Paranavaí e reconhecemos a importância econômica que a cultura da mandioca representa para a região que, além da produção, é um grande polo de transformação, concentrando grande número de indústrias processadoras da raiz que promovem milhares de empregos”, afirmou Filipe Barros.

Os recursos aprovados serão aplicados em apoio à produção como: disponibilização de material propagativo de mandioca de qualidade genética e fitossanitária, estratégias para a recuperação do solo, o aumento da competitividade e da sustentabilidade dos sistemas para a cultura da mandioca e produção da colheitadeira de mandioca.


Unidade de Pesquisa – “Ainda como parte nosso compromisso contínuo no sentido de promover esta cadeia produtiva na região Noroeste, seguimos articulando junto à Embrapa Mandioca e Fruticultura para garantir a instalação de uma Unidade Mista de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (UMIPTT) junto ao Instituto Federal do Paraná, em Paranavaí. Será perfeito para ampliarmos ainda mais este polo de desenvolvimento trazendo inovações e formando profissionais com foco nesta vocação regional”, ressaltou Filipe Barros.


O deputado destaca que para "o desenvolvimento de genótipos de novos cultivares, ou seja, de novas variedades, torna-se necessário uma estratégia logística específica de pesquisa e transferência de tecnologia para que, além de fomentar os estudos relacionados ao cultivo da mandioca, os genótipos cheguem rapidamente aos produtores com qualidade fitossanitária, com garantias e certificações regulamentadas pelo Ministério da Agricultura".


Filipe Barros lembrou que a próxima contratação da Embrapa Mandioca e Fruticultura, prevista para acontecer em 2023, deverá designar vagas específicas de pesquisadores para Paranavaí, utilizando o IFPR como instrumento de cooperação. “Esta informação nos foi assegurada, ainda no final do ano passado, pelo pesquisador Alberto Duarte Vilarinhos, Chefe da Embrapa Mandioca e Fruticultura”, disse o deputado federal.



5 visualizações0 comentário