Colégio Adélia Dionísia passa a integrar a rede de escolas cívico-militares


O Colégio Adélia Dionísia Barbosa, localizado na Zona Norte de Londrina, com mais de 30 anos de atuação na rede estadual de ensino, passa a funcionar oficialmente a partir de hoje (30) como escola Cívico-Militar integrando o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa e governos estaduais.


A inclusão do Colégio Adélia no rol das 216 escolas brasileiras que integram o programa nacional aconteceu por meio de articulação do deputado Filipe Barros. “A transformação da escola passando para militar, foi inclusive um dos primeiros compromissos que assumi com a população de Londrina neste meu primeiro mandato”, afirmou Filipe Barros.


Desde o ano passado, mesmo durante a pandemia, o deputado Filipe Barros vinha tratando da efetivação das ações no Colégio Adélia como Escola Cívico Militar. A escola já contava com o depósito de R$ 1 milhão de reais na conta do Paraná para adequações e adaptações, mas o processo estava passando por atrasos burocráticos. “Promovemos várias reuniões com professores, pais de alunos, e com os governos estadual e federal; conseguimos a manutenção do recurso e conseguimos a implementação da nossa proposta: hoje a escola foi reinaugurada com o nome de Colégio Estadual Cívico-Militar Adélia Dionísia Barbosa”.


Neste ano, no início do ano letivo, a escola recebeu 2.259 uniformes para todos os alunos do Fundamental e do Ensino Médio e passou a contar com apoio de militares na orientação sobre o Manual dos Estudantes.


No início deste mês, no dia 7, o Colégio Adélia recebeu Certificação do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares para níveis básico e intermediário. A cerimônia, em Brasília, contou com a presença do Ministro da Educação Victor Godoy Veiga.


Na data, a diretora do Colégio, professora Vera Lúcia da Silva Moura, agradeceu o apoio do deputado federal Filipe Barros.“Estamos muito felizes e queremos agradecer aos professores, militares envolvidos no projeto, alunos e a comunidade que nos apoiou e confiou em nosso trabalho e, agradecer, especialmente, ao deputado Filipe Barros que nos conduziu na implantação”, disse Vera Lúcia.





105 visualizações0 comentário